A terceira geração do Nissan Qashqai levanta uma ponta do véu
Estão a ser ultimados os preparativos para a introdução da terceira geração do crossover compacto que mudou o mercado automóvel europeu e que originou inúmeras imitações, o Nissan Qashqai.

Os protótipos do novíssimo modelo estão a acumular quilómetros de teste nas estradas europeias, antes de o Qashqai ficar disponível para venda em 2021 e voltar a redefinir aquilo que os clientes esperam de um crossover compacto.

O novíssimo Qashqai dará seguimento ao seu estatuto de pioneiro e de referência desde 2007 para o segmento de crossovers médios na Europa. Servindo de base para o novo Qashqai, encontra-se a também nova plataforma CMF-C da Aliança, numa verdadeira montra de inovação, tecnologia e engenharia avançada.

A 2ª geração do Qashqai, que ficou disponível para venda na Europa em 2014, já vendeu mais de um milhão de unidades desde a sua introdução no mercado.

«O novo Qashqai vai mudar aquilo que os clientes podem esperar de um automóvel familiar. O conforto, refinamento e tecnologia característicos de automóveis de gamas mais altas aliam-se a uma experiência de condução que irá satisfazer condutores e passageiros. Com a avançada tecnologia e-POWER da Nissan, estamos convictos que os clientes vão apaixonar-se pelas sensações de um grupo motopropulsor elétrico sem qualquer preocupação relativa à autonomia", afirmou Gianluca de Ficchy, Presidente da Nissan AMIEO*.

Para esta nova edição do Qashqai, a Nissan manteve os princípios orientadores que impulsionaram o conceito, design e desenvolvimento das duas anteriores gerações: design elegante, carroçaria melhorada e grupo motopropulsor eficiente, em combinação com uma maior qualidade e uma experiência de condução de segmento superior. O novo Qashqai voltará a elevar a fasquia no segmento de crossovers, permitindo que os clientes desfrutem desses atributos.

Tal como nos seus antecessores, o estilo do novo Qashqai foi liderado pela equipa da Nissan Design Europe, sedeada no centro de Londres, enquanto a vertente de engenharia foi liderada pela Nissan Technical Centre Europe, localizada em Cranfield (Reino Unido).

Plataforma CMF-C 
O novo Qashqai é o primeiro modelo na Europa a utilizar a plataforma CMF-C, que representa uma arquitetura tecnológica e de estrutura automóvel topo de gama.

Um dos pontos fulcrais do conceito de engenharia foi a preservação das proporções do atual Qashqai, uma das chaves para o seu sucesso, consideradas "perfeitas" por permitirem, simultaneamente, circular confortavelmente em estrada e caber nos lugares de estacionamento exíguos das cidades, ao mesmo tempo que proporcionam um excelente espaço interior.

Em termos de construção, a base da carroçaria utiliza materiais mais leves, recorrendo a avançadas técnicas de estampagem e soldadura para aumentar a resistência e reduzir o peso. Pela primeira vez, a porta da bagageira do Qashqai será fabricada num composto, o que permite uma redução de 2,6kg.

A utilização de Ultra High Strength Steel (UHSS, aço ultra resistente) da Nissan aumentou em 50% ao nível da estrutura do novo Qashqai. O UHSS garante a mais elevada resistência nas zonas da estrutura da carroçaria onde tal é necessário, por exemplo nas zonas da estrutura resistentes a embates, sem um acréscimo significativo de peso. Tradicionalmente, os materiais com uma resistência à tração mais elevada representam um problema aquando da soldadura ou união a outras partes da estrutura. Na carroçaria do Qashqai, foram utilizadas uniões estruturais para formar uniões de elevada resistência onde os pilares A, B e C se juntam ao tejadilho e ao piso.

Agora, as portas dianteiras e traseiras, o para-choques dianteiro e o capô são fabricados em alumínio, o que possibilita uma poupança de peso total de 21kg, comparativamente à carroçaria limpa da versão atual do Qashqai.

A estrutura base - a "espinha dorsal" - da plataforma CMF-C, foi atualizada para uma forma mais homogénea, possibilitando uma melhor difusão de um impacto através de toda a estrutura. Isto permite que a estrutura absorva a energia de forma mais eficiente nas zonas de deformação, reduzindo a carga potencial transmitida aos ocupantes no caso de um acidente.

A vantagem real para os clientes, graças às avançadas técnicas de produção, é o facto de que a carroçaria será 60kg mais leve e 41% mais rígida face ao modelo atual. Isto traduz-se num refinamento, conforto de condução e resposta da direção característicos de um segmento superior, bem como numa segurança excecional no caso de acidente, para além de beneficiar a eficiência global do automóvel.

Novo design de suspensão e direção 
O novo Qashqai continuará a proporcionar uma experiência de condução gratificante - reforçando a sua reputação de oferecer uma condução refinada, embora igualmente agradável em estradas mais sinuosas.

A nova plataforma CMF-C possui uma rigidez à torção excecional, o que faz com que a suspensão permaneça controlada de forma precisa, proporcionando uma resposta da direção positiva e que transmite confiança, bem como uma sensação mais sólida aquando da condução em estradas mais acidentadas.

Graças a plataforma CMF-C, o novo Qashqai possui uma suspensão McPherson atualizada na dianteira. Para os modelos com tração às duas rodas e jantes até 19", a suspensão traseira é do tipo eixo de torção. Já as versões com jantes de 20" e tração às quatro rodas estarão equipadas com um avançado sistema multi-link.

A solução com eixo de torção proporciona uma melhor absorção das irregularidades e supressão dos ruídos da estrada, traduzindo-se numa condução serena e silenciosa em todo o tipo de superfícies. Um aspeto fundamental para as suas capacidades abrangentes é a alteração das molas e amortecedores que passam a ter um alinhamento vertical. Isto permite que a mola e o amortecedor funcionem num intervalo de curso ideal, maximizando a sua eficácia para uma resposta mais controlada face a impactos e choques na estrada e para minimizar o ressalto, proporcionado uma condução estável e serena e preservando o excelente desempenho de estabilidade aquando de mudanças de direção.

A avançada configuração da suspensão traseira multi-link oferece um equilíbrio entre conforto de condução e resposta dinâmica líder no segmento. Esta encontra-se agora instalada na estrutura secundária através de casquilhos, o que permite reduzir as vibrações e o ruído transmitidos a partir da estrada.

A direção assistida foi melhorada face ao sistema presente no Qashqai atual, proporcionando uma resposta mais rápida, uma menor fricção e uma melhor sensação na zona central do curso da direção.

David Moss, Vice-Presidente Sénior de Investigação e Desenvolvimento da Nissan AMIEO*: «A nossa equipa de engenharia efetuou uma análise comparativa dos dois volumes do segmento C e de automóveis concorrentes diretos e após milhares de quilómetros de testes em estradas e pistas de teste por toda a Europa, foi possível alcançar um equilíbrio entre condução e manobrabilidade que coloca o prazer de condução no cerne da experiência».

Inovação para a eficiência 
O novo Qashqai enquadra-se na estratégia de eletrificação alargada da Nissan e irá oferecer aos clientes duas soluções de grupo motopropulsor: um flexível e eficiente motor de 1.3 litros a gasolina com tecnologia mild-hibryd e o inovador motor e-POWER da Nissan, que acrescenta ao Qashqai a sensação de condução com aceleração linear e instantânea característica dos automóveis 100% elétricos, sem preocupações relativas à autonomia.

Com a uma estrutura base da carroçaria mais resistente à torção, alcançar uma eficiência ideal tem estado no centro de todo o processo de desenvolvimento do novo Qashqai. Essa busca pela eficiência abrange igualmente a utilização do flexível motor de 1.3 litros a gasolina, que estará disponível com duas potências, ambas combinando excelentes características de resposta com frugalidade e emissões reduzidas. [Os detalhes técnicos completos deste grupo motopropulsor serão apresentados aquando da introdução no mercado].

Dois exemplos adicionais dos esforços dos engenheiros da Nissan com vista a otimizar a eficiência do novo Qashqai são o piso plano, garantindo o fluxo de ar mais suave possível sob o automóvel e a persiana ativa da grelha, que está fechada normalmente para que o ar circule em redor da frente do automóvel da melhor forma possível. Esta persiana apenas abre quando é necessário arrefecer o motor, permitindo a entrada de mais ar nos radiadores com vista a esse arrefecimento.

A conceção da dianteira do automóvel também cria uma espécie de cortina de ar, capaz de gerir o fluxo de ar circundante para reduzir o atrito gerado pelas rodas dianteiras.

O motor de 1.3 litros a gasolina foi amplamente atualizado para incluir um sistema mild-hybrid. O sistema de 12v integra uma bateria de lítio separada sob o piso e um gerador acionado por correia para recolher energia a partir da travagem. Isto permite que os sistemas do motor funcionem com energia recolhida, aumentando a duração da função start/stop e reduzindo as emissões de CO2 do motor. Para além disso, também apoia a circulação a velocidade de cruzeiro e proporciona mais binário na aceleração.

Motorização e-POWER 
O novo Qashqai representará o melhor do espírito inovador da Nissan, conhecido por Mobilidade Inteligente da Nissan. Representará a primeira implementação do inovador sistema de transmissão e-POWER da Nissan a nível europeu. O sistema e-POWER, uma inovação exclusiva da Nissan, oferece uma condução exclusiva em modo elétrico, o que significa que as rodas são totalmente acionadas pelo motor elétrico. O e-POWER é composto por uma bateria de elevado rendimento e por um grupo motopropulsor integrando um motor a gasolina/gerador elétrico, inversor e motor elétrico de tração.

Nos sistemas híbridos convencionais, as rodas são acionadas por um motor elétrico e um motor a gasolina. Contudo, com o sistema e-POWER, o motor a gasolina não está ligado às rodas, sendo apenas utilizado para carregar a bateria. Ao contrário de um automóvel totalmente elétrico, a fonte de alimentação de eletricidade é o motor de combustão e não apenas a bateria. [As especificações e detalhes técnicos completos sobre a motorização e-POWER serão apresentados aquando da sua introdução no mercado].

A principal diferença comparativamente aos híbridos convencionais é que o motor elétrico é do mesmo tamanho dos normalmente presentes nos VE puros, proporcionando a resposta de aceleração instantânea apreciada pelos clientes de VE. O gerador acionado pelo motor de combustão mantém a carga da bateria, podendo também fornecer eletricidade diretamente ao motor para potência adicional. O funcionamento do motor de combustão foi cuidadosamente afinado para trabalhar nos regimes de rotação mais eficientes para maximizar a economia de combustível e para reduzir o ruído, proporcionando uma sensação natural e de interligação aquando de acelerações fortes.

Para os clientes, o e-POWER proporciona a característica sensação de aceleração linear e instantânea, traduzindo-se numa experiência de condução divertida, sem a ansiedade relativa à autonomia. Esta será a transição perfeita para a condução de VE, especialmente para aqueles condutores que percorrem muitos quilómetros e que certamente irão adorar a combinação de conveniência e refinamento, bem como a eficiência ecológica do automóvel.

«As avançadas e eficientes opções de grupos motopropulsores representam o espírito inovador da Nissan e nada o representa melhor do que o sistema e-POWER. Este proporciona todas as vantagens de condução de um grupo motopropulsor de VE, sem quaisquer compromissos. O e-POWER é um exemplo perfeito da Mobilidade Inteligente da Nissan", afirmou David Moss.

Assistência ao condutor melhorada: ProPILOT com Navi-link 
O novo Qashqai estará equipado com a próxima geração da assistência ao condutor ProPILOT, proporcionando uma superior assistência ao condutor numa ampla variedade de circunstâncias. Denominado ProPILOT com Navi-link, o sistema foi concebido para reduzir o cansaço e o stress durante a condução, sendo extremamente intuitivo.

O ProPILOT com Navi-link é capaz de acelerar e travar o automóvel durante a deslocação numa única faixa em autoestrada. O sistema pode acelerar o automóvel até alcançar uma velocidade de cruzeiro predefinida e pode travar até aos 0 km/h em situações de trânsito tipo "pára-arranca". O sistema tem a capacidade de retomar automaticamente o movimento caso o automóvel se encontre parado durante menos de três segundos e o trânsito na frente do Qashqai se comece a movimentar.

O sistema de direção e a câmara atualizam constantemente a posição do automóvel, ajudando a manter o Qashqai centrado na faixa enquanto é mantida uma velocidade predeterminada, embora com a capacidade para adaptar e manter uma distância segura em relação ao automóvel que circula à sua dianteira.

No novíssimo Nissan Qashqai, o sistema atualizado é agora capaz de adaptar a velocidade do automóvel de acordo com circunstâncias externas adicionais: quando o automóvel entrar numa zona de limite de velocidade inferior numa autoestrada, o sistema tem a capacidade de ler os sinais de trânsito e ter em conta a informação de limites de velocidade do sistema de navegação para abrandar o Qashqai até a uma velocidade adequada, o que significa que o condutor não necessita de ajustar o controlo de velocidade de cruzeiro manualmente.

O sistema pode também usar dados a partir do sistema de navegação e tem a capacidade de ajustar a velocidade no caso de aproximação de curvas com raios de viragem mais apertados ou troços de saída de autoestrada.

Para além disso, o ProPILOT com Navi-link pode agora comunicar com os radares de ângulo morto do Qashqai, para ajudar a intervir com uma correção na direção para prevenir uma manobra de mudança de faixa caso se encontre algum veículo na zona de ângulo morto.

Outras melhorias no ProPILOT incluem um aviso de "proteção de flanco" para situações de condução urbana, que alerta o condutor no caso de risco de contacto com um objeto na lateral do automóvel, como aquando da entrada num lugar de estacionamento de um supermercado. O novo Qashqai pode também intervir para evitar uma colisão ao sair do estacionamento em marcha atrás, graças a uma melhoria do alerta da Deteção Inteligente de Objeto em Movimento existente, acionando os travões e parando o automóvel caso seja detetado um obstáculo em movimento nas imediações.

O ProPILOT com Navi-link estará disponível a partir da versão N-Connecta, para que a maioria dos condutores do Qashqai usufruam desta avançada tecnologia exclusiva, o epítome da promessa da marca Nissan de "inovação com entusiasmo".

«O Nissan ProPILOT é uma das nossas mais apreciadas inovações no atual Qashqai. Os clientes louvam a forma como auxilia o condutor a manter uma condução suave, precisa e segura, especialmente em condições com muito trânsito, à noite ou sob más condições climatéricas. Estamos entusiasmados por fazer crescer essa sensação de conveniência e confiança graças às excelentes funções adicionais do ProPILOT com Navi-link no futuro Qashqai», afirmou Marco Fioravanti, Vice-presidente de Planeamento de Produtos na Nissan Europa.

Faróis LED inteligentes 
Desde o seu lançamento em 2014 que o Qashqai atual está equipado com luzes LED nas versões superiores, sendo que as presentes na versão topo de gama Tekna oscilam para acompanhar a estrada em resposta à movimentação do volante, sendo capazes de proporcionar uma clareza excecional graças aos potentes projetores que emitem um feixe forte e uniforme.

Para o novo Qashqai, os engenheiros da Nissan desenvolveram um sistema avançado de faróis que adapta a forma do feixe de luz de acordo com as condições da estrada e dos outros utentes desta. O feixe divide-se em 12 elementos individuais que desativam seletivamente aquando da deteção de um veículo em direção oposta, por exemplo. Graças a esta inovação, consegue projetar um feixe mais brilhante e amplo, mas a forma muda eficientemente para que os utentes da estrada que se aproximam não sejam encandeados.

«O ponto de partida para o design e desenvolvimento do novíssimo Qashqai foi uma profunda análise das relações que tivemos com todos os nossos clientes Qashqai ao longo dos últimos 13 anos. Esta permitiu-nos compreender as suas necessidades e, particularmente, aquilo que valorizam no crossover que utilizam e no qual confiam diariamente», afirmou Marco Fioravanti.

Qashqai: o crossover pioneiro 
Em 2007, quando o Qashqai foi apresentado, não havia nada igual na estrada.

A posição dos seus bancos era um pouco mais elevada, permitindo uma melhor visibilidade da estrada, mas a sua pegada geral era igual à dos dois volumes do segmento C seus pares. As opções de motores a diesel e gasolina eram económicas e eficientes, existindo ainda uma versão de tração integral para os clientes que precisavam de mais tração em condições mais adversas. Em poucas palavras, oferecia um excelente equilíbrio entre as dimensões compactas dos dois volumes, com a sensação de robustez e visibilidade elevada proporcionada pela condução de um automóvel de tração integral tradicional, sem as desvantagens ao nível do tamanho, peso ou eficiência. Desta forma, oferecia o melhor de dois mundos, quebrando as barreiras associadas a ter um SUV.

Efetuar previsões de vendas para um novo automóvel que não era um substituto direto de um modelo existente e para o qual não havia concorrentes diretos, foi um desafio. No geral, as estimativas de vendas internas previam 100.000 unidades por ano na Europa. As estimativas ficaram aquém da realidade. Passados poucos meses, foi implementado um turno adicional na fábrica da Nissan em Sunderland, Reino Unido, para dar resposta à procura.

As suas vendas continuaram a aumentar de ano para ano e a sua atratividade ganhou uma nova dimensão quando o Qashqai+2 foi lançado em 2008, acrescentando uma terceira fila de bancos rebatíveis numa bagageira maior, graças a uma maior distância entre eixos.

Em 2010, sofreu uma extensa renovação estética com diversas melhorias no exterior, particularmente no aspeto dianteiro, refletindo que uma alta percentagem de clientes do Qashqai era proveniente de segmentos superiores. Em 2014, aquando da sua substituição pelo Qashqai de segunda geração, 17 concorrentes diretos haviam seguido as pisadas da Nissan para comercializar os seus próprios crossovers.

Apesar da chegada de vários concorrentes europeus, a primeira geração do Qashqai vendeu mais de 200.000 unidades por ano, em média, ao longo do seu tempo de vida.

A segunda geração do Qashqai foi colocada à venda na Europa em 2014, com um design mais marcante e motores mais eficientes, mais refinamento e tecnologia mais conveniente. A segunda geração do Qashqai quebrou um recorde no Reino Unido, sendo o automóvel produzido naquele país que mais rapidamente atingiu o marco de 500.000 unidades produzidas.

Até à data, mais de 3 milhões de unidades do Qashqai foram vendidas na Europa e mais de 5 milhões globalmente.

O Qashqai foi o pioneiro neste "nicho" da indústria automóvel, que representa agora um segmento próprio, um segmento que continua a crescer anualmente: existem agora 26 concorrentes diretos do Qashqai atual.

Quando chegar em 2021, o novíssimo Qashqai vai elevar a fasquia novamente e definir a norma no segmento pelo seu design marcante, conforto, refinamento, eficiência e tecnologia conveniente.

«A Nissan é a primeira marca a colocar a terceira geração do seu crossover compacto no mercado. Com a inigualável experiência, conhecimentos e relações com os clientes que formámos desde que foi apresentado o primeiro Qashqai, a Nissan está numa posição única para reforçar o estatuto do novíssimo Qashqai como o crossover favorito da Europa. Está concebido para elevar a experiência de condução e propriedade para os nossos clientes através de um design dinâmico e elegante e tecnologia útil e inovadora, enquanto oferece uma eficiência extraordinária», afirmou Marco Fioravanti.

Para mais informações

Auto Júlio Caldas da Rainha e Leiria

info@autojulio.pt 
OUTRAS NOTICIAS
Quer receber todas as novidades?

Registe-se grátis para receber as novidades por email e faça parte do Grupo AJúlio






O Grupo A. Júlio é composto por 13 empresas, em 10 sectores de atividade e com 300 colaboradores. Contacte-nos e deixe-nos ajudá-lo a descobrir a melhor solução para si!
Aceito a Politica de Proteção de Dados